“Não é o mais forte das espécies que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o mais propenso a mudar”, disse Charles Darwin / Por Claudio Tancrendi

cidade inteligente

A internet das coisas (IoT) está ajudando a conectar nossos mundos físico e digital como nunca antes. A tecnologia gera novas oportunidades para inovar e tornar seu negócio ou organização, mais inteligente, mais segura e mais eficiente. Parece ótimo, mas por onde e como você deve começar?

As cidades são compostas de entidades como agências governamentais e policiais, empresas, sistemas de saúde, aeroportos e transporte, para serviços públicos, escolas, universidades e muito mais. Cada uma dessas organizações possui desafios e oportunidades, mas todas compartilham necessidades comuns: devem aumentar a eficiência operacional e a economia de custos, melhorar a experiência das pessoas que eles servem e manter pessoas e bens seguros.

É por isso que a transformação digital de um sistema urbano precisa atender resultados ambientais, financeiros e sociais. As cidades inteligentes utilizam a tecnologia para fornecer soluções para problemas com a iluminação pública, coleta de lixo, trânsito, construções de grandes edifícios, e o desperdício de água.

Recentemente, tive contato com uma pesquisa da IDC, que apontou que os gastos de cidades inteligentes atingirão US $ 158 bilhões em 2022.

Algumas formas de conseguir investimentos e resultados para construir as cidades inteligentes, são por meio de parceiros confiáveis, que permitirão a experimentação e inovação. Aqui no Brasil, temos, por exemplo um caso da CPFL , que gerou maior agilidade no processamento de dados resultou em uma melhor prestação de serviço para o consumidor final e segurança para os eletricistas da empresa.

A IDC também lista as principais ações para o investimento em cidades inteligentes

• Concentrar-se na gestão do crescimento
• Mais RFPs relacionados ao planejamento estratégico e benchmark
• Conscientização política para uma cidade mais educada e envolvida em ser Smart
• Testar novos modelos de negócios
• Estruturas ágeis para incentivar a inovação e também gerenciar riscos

É por isso que é fundamental estabelecer princípios e diretrizes de governança claros que assegurem acesso a dados, permitindo a experimentação.

Este é um dos melhores caminhos para uma cidade tornar-se inteligente.

Vale ressaltar também que é necessário considerar que a transformação digital gera engajamento e uma sociedade cada vez mais disposta a compreender e a entender a inovação. Só assim ela estará pronta para cobrar posturas do poder público para que adote práticas tecnológicas, mas, sobretudo, sustentáveis.

Claudio Tancredi é Country Manager da Hitachi Vantara Brasil.

Contato:
Hitachi Vantara
11 4861-0600
https://www.hitachivantara.com/pt-br/home.html