[Mercado] Criando a fábrica do futuro com impressão 3D / Por Stephan Romeder

Stephan Romeder

Stephan Romeder, da Magic Software Enterprises

A manufatura aditiva (MA), também conhecida como impressão 3D, é um processo de fabricação que está rapidamente se tornando parte integrante da fábrica do futuro. Os produtos são projetados usando sistemas CAD e, em seguida, camada sobre camada de material é adicionado para fabricar praticamente qualquer objeto, incluindo peças de aeronaves, restaurações dentárias, implantes médicos, automóveis, joias e, em breve, possivelmente, até tecidos humanos.

A adoção de manufatura aditiva na indústria está aumentando rapidamente. A empresa de análise SmarTech Publishing informou que as receitas de impressão 3D em metal cresceram 24% e ultrapassaram US$ 1 bilhão pela primeira vez em 2017, e prevê que as receitas atingirão US$ 9,3 bilhões até 2027. E a Rolls Royce vem usando MA na fabricação de produtos aeroespaciais há mais de uma década.

Vantagens de custo da manufatura aditiva – Uma das vantagens imediatas da manufatura aditiva é que, sem a necessidade de soldar ou unir componentes individuais, não há pontos fracos que possam ser comprometidos ou estressados, reduzindo a possibilidade de defeitos. Além disso, criando modelos impressos em 3D, os projetos podem ser verificados antes da fabricação, resultando em menos erros de produção.

O uso do CAD permite que os projetistas façam alterações com um clique de um botão, em oposição a intermináveis reuniões de design com equipes de engenharia. Protótipos podem ser feitos em poucas horas.

As alterações repentinas também são mais fáceis de fazer, o que acelera o processo de execução de pedidos de alteração de engenharia, permitindo que as empresas obtenham uma personalização em massa onde os produtos podem ser projetados para preferências individuais.

A manufatura aditiva também é mais ecológica e pode reduzir os custos e o desperdício de material em até 90%, já que são adicionadas camadas de material para criar um produto, em vez de cortar de uma peça maior.

Integração com a fábrica do futuro – À medida que os fabricantes adotam cada vez mais a manufatura aditiva como uma alternativa de produção viável, eles se deparam com muitas novas oportunidades e desafios de integração de sistemas.

Por exemplo, as linhas de produção da manufatura aditiva podem se adaptar rapidamente, mas apenas na velocidade em que as especificações de projeto e as requisições de mudança podem ser transmitidas e recebidas. Portanto, é necessário haver um meio seguro e eficiente de integrar os dados necessários.

Além disso, ao permitir o feedback das máquinas de aditivos do chão de fábrica para o Manufacturing Execution Systems (MES), pode haver uma análise em tempo real dos processos e dados do produto para melhorar a qualidade do produto e a eficiência da fabricação.

Os dados sobre o número de unidades produzidas e a quantidade de materiais utilizados também podem ser compartilhados com sistemas de gestão empresarial, como CRM, ERP, logística, gestão de armazéns e finanças, para um gerenciamento mais eficaz de materiais, estoques e fornecedores.

Integrando dados entre fabricantes e consumidores – Há também uma necessidade de integração de dados entre fabricantes e consumidores, pois a maior personalização dos produtos exigirá a coleta de dados sobre os requisitos e preferências do usuário final.

Para que os dados da manufatura aditiva sejam totalmente utilizados, é necessário que haja um ambiente de produção no qual os sistemas de chão de fábrica e de back office possam se comunicar facilmente.

Um fluxo constante de dados de desempenho e produção precisa ser coletado, armazenado, analisado e compartilhado de forma eficiente e confiável. Além disso, durante todo o processo, todas as informações precisam estar protegidas para proteger os dados de propriedade intelectual e de clientes.

Integrações de sistemas ponto-a-ponto podem ser mais eficientes no uso de recursos no início do projeto, pois nessa fase eles têm escopo limitado, o que significa que recursos internos podem ser usados com frequência.

Mas, com o tempo, esses projetos podem multiplicar-se rapidamente e se tornar incômodos à medida que mais e mais sistemas se tornam parte da rede de informações de uma fábrica.

Uma solução mais prática e eficiente pode ser uma plataforma de software com conectores homologados para vários sistemas de terceiros e que oferece escalabilidade e tratamento de dados comprovado e unificado para todos os sistemas integrados.

A integração pode se tornar a espinha dorsal de um hub de informações que tenha a escalabilidade e a segurança de dados necessárias para integrar rapidamente os sistemas de back-office aos processos de manufatura aditiva.

As vantagens e a adoção da manufatura aditiva só aumentarão com o avanço da tecnologia. Na era da manufatura digital moderna, nenhum sistema de informação pode ficar muito longe da produção de front-office e da tomada de decisões operacionais.

Criar uma infraestrutura de TI para compartilhar e analisar dados da produção pode alavancar o aumento da eficiência dos processos de manufatura aditiva em toda a organização.

Stephan Romeder é vice-presidente Global Business Development da Magic Software Enterprises.

Contato:
Magic Software Enterprises
(11) 5085-5818
https://www.magicsoftware.com/pt-br/